A função dos Ogãs - ASSOCIAÇÃO EXPIRITUALISTA XANGÔ CABOCLO SETE CACHOEIRAS - AEXCSC - TENDA CABOCLO SETE CACHOEIRAS http://www.tendacaboclosetecachoeiras.tk

Ir para o conteúdo

Menu principal:

A função dos Ogãs

Midia e Downloads > ARTIGOS

Curimba

A função dos Ogãs (Coro e Curimba)

É responsabilidade dos Ogã, não só no dia da gira como em qualquer dia de trabalho, olhar pelos demais médiuns, bem como pela integridade e pelo bom funcionamento do Terreiro. O Ogã, em especial, tem a responsabilidade de se comportar como um médium exemplar e de orientar os demais médiuns a seguir um comportamento apropriado.
A consciência de sua responsabili­dade sobre os trabalhos e a consciên­cia das energias que são emitidas pelos atabaques e cantos que envol­vem os trabalhos, é que faz um verda­deiro Ogã.
É importante saber, que o Ogã é responsável pela gira e pelo trans­correr dos trabalhos espirituais do Terreiro, pois, quando o Pai-no-Santo está incorporado, é o Ogã que assu­me a força vibracional da gira. Por­tan­to, o Ogã não deve contar com o Pai-no-Santo para saber que linha e que pontos devem cantar, deve sim, estudar e conhecer as Forças Espiri­tuais Divinas de nossa querida Umban­da, assim como, deve conquistar a sintonia com os médiuns e com os Guias de cada médium. E para que isso aconteça, ele deve estar diretamente conectado com os espíritos e as linhas de trabalho que estão encarregados de trabalhar em cada médium e no Terreiro.
Ele é, entre todos os médiuns, o mais importante, pois tem a função de concentrar, canalizar e doar energias durante todo o trabalho espiritual e isso ele faz com o som e com as palavras, para tanto ele precisa aprender não só a cantar com a voz ou tocar com as mãos, mas, também, com a alma, com o coração.
O som e as palavras têm uma força normalmente subestimada por nós. Se soubéssemos da repercussão da música e das palavras na mente das pessoas, seríamos muito mais cautelo­sos e atenciosos no falar e no cantar. Uma palavra, uma vez emitida, não se perde nunca e entra no mundo mental daquele que a ouviu. O som, o canto, o mantra, possui o mesmo valor, daí o dito popular que “quem canta, reza du­as vezes”. Dependendo da intenção com que o som, ou o mantra, é emitido, ele eleva a vibração do ambiente, se irradia, atrai, despacha, limpa ou fortifica. Por isso, todas as religiões têm seus mantras, seus cânticos, seus pontos.
A energia que atua no Ogã é uma energia de Força e Segurança, e essa energia é doada a toda a corrente me­diú­nica, essa função de doação ener­gé­tica é como é explorada a mediuni­dade do Ogã durante a gira.
Saiba que é mais dificil os ogãs tenham necessidade de “girar” e, quan­do isso acontece, atende necessidades individuais especiais, o motivo de não incorporarem deve-se pelo cuidado de manter a energia de suas coroas em constante equilíbrio e livre de ações mentais negativas.

Pontos abordados em reunião na Seara de Caridade Caboclo Tupinambá

 
designer by JOSÉ G N NETO KLEIN --FATALFRAMEEDICOES@GMAIL.COM- (41)33648479-- (41)88876043
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal